Projetos

Video Playlist
1/5 videos
1
Matéria "Nordeste Mais" sobre o Projeto Língua Mãe - 01/05/2010
Matéria "Nordeste Mais" sobre o Projeto Língua Mãe - 01/05/2010
2
Matéria Jornal da Record sobre o aniversário de Brasília - 21-04-2010
Matéria Jornal da Record sobre o aniversário de Brasília - 21-04-2010
3
Teaser Língua Mãe - Naná Vasconcelos - 2010
Teaser Língua Mãe - Naná Vasconcelos - 2010
4
Língua Mãe - Naná Vasconcelos - Brasília (parte 1)
Língua Mãe - Naná Vasconcelos - Brasília (parte 1)
5
Língua Mãe - Naná Vasconcelos - Brasília - 2010 (parte 2)
Língua Mãe - Naná Vasconcelos - Brasília - 2010 (parte 2)

Língua Mãe une três continentes no aniversário de Brasília.

Europa, África e América do Sul têm encontro marcado na semana do aniversário de Brasília. Projeto Língua Mãe, conduzido pelo percussionista Naná Vasconcelos, produzido pela 07 Filmes e patrocinado pela Petrobras, faz espetáculo com 120 crianças dos três continentes regidas por Naná e acompanhadas pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, dia 20 de abril, na Sala Villa-Lobos. Todo o processo de oficinas com as crianças, nos respectivos países, será filmado e resultará num documentário e um DVD produzido durante o espetáculo.

A união de três povos de língua portuguesa será celebrada no aniversário de 50 anos de Brasília, no mês de abril O Projeto Língua Mãe, que tem como personagem central o percussionista Naná Vasconcelos e patrocínio da Petrobras (via Lei Rouanet), reúne em um mesmo espetáculo 120 crianças das cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, em Portugal, Luanda, em Angola, na África, e Brasília, no Brasil regidas em coro por Naná e acompanhadas pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, sob regência do maestro Gil Jardim, na Sala Villa-Lobos, em Brasília, dia 20 de abril, um dia antes do aniversário de 50 anos da cidade. Todo o processo de oficinas com as crianças, em seus respectivos países, está sendo filmado e será finalizado no formato de documentário média-metragem, além de um DVD resultado da gravação do espetáculo do dia 20 de abril.

 

Entre os dias 23 de fevereiro e 30 de março, Naná Vasconcelos e a equipe de produtores viajam primeiro para a cidade do Porto e Vila Nova de Gaia, em Portugal, e depois para Luanda, em Angola, na África, e por último para Brasília para selecionar e ministrar as oficinas com as crianças de cada cidade e registrar todas as atividades desenvolvidas A ideia central consiste em resgatar a memória musical em comum nos três continentes, além da troca evidente de culturas -A música é uma linguagem universal por si só, mas nesse projeto vamos ter a oportunidade de integrar e socializar crianças que participam de uma mesma língua através de um profundo diálogo cultural’, completa Naná Vasconcelos.


O espetáculo do dia 20 de abril, em comemoração aos 50 anos de Brasília, será composto por 120 crianças desses três continentes. Serão 30 crianças das cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, 30 de Luanda e cerca de 60 brasileiras, todas com idade entre 7 e 10 anos No repertório, canções folclóricas e cantigas dos três países unidas pela mesma língua Conduzido por Naná Vasconcelos, o espetáculo terá o acompanhamento da Orquestra Sinfónica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, com regência do maestro Gil Jardim, na Sala Villa-Lobos. 

 

Todo o processo das oficinas de iniciação musical com as crianças, nos três continentes, está sendo filmado para resultar num documentário de 52 minutos, com co-direção de Leo Falcão e Fernando Weller Já o espetáculo com as crianças, com direção de Falcão, resultará num DVD da apresentação.


Naná Vasconcelos


Juvenal de Holanda Vasconcelos nasceu no Recife, em 1944 Mesmo depois de duas décadas tocando pelo mundo, morou em Paris e Nova York, as influências de sua terra estão presentes em tudo o que faz. Foi por oito vezes consecutivas aclamado como melhor percussionista do mundo pela revista norte-americana Down Beat Dotado de uma curiosidade intensa, indo da música erudita do brasileiro Villa-Lobos ao roqueiro Jimi Hendrix, Naná aprendeu a tocar praticamente todos os instrumentos de percussão, embora nos anos 60 tenha se especializado no berimbau. O trabalho de Naná sempre demonstrou a amplitude do seu talento, e nos anos 80 gravou o disco -saudades’, concerto de berimbau e orquestra. Depois, vieram os álbuns ‘Busb Dance’ e ‘Rain Dance’, suas experiências com instrumentos eletrônicos.
Daí por diante, Naná esteve envolvido mais diretamente com o cenário musical brasileiro ao fazer a direção artística do festival Panorama Percussivo Mundial (Percpan), em Salvador, e do projeto ABC Musical, além de participações especiais em álbuns de Milton Nascimento, Caetano Veloso, Mansa Monte e Mundo Livre S/A, entre outros. No fim de 2005, lançou “Chegada’, pela gravadora Azul Music, e em 2006, o CD mais recente, intitulado “Trilhas”.
Uma trajetória de vida que esbanja virtuosismo musical e integridade pessoal em tudo o que faz e toca 

Mais Informações para a imprensa:

Sérgio Fogaça — Nota Musical Comunicação
Tels: (11) 3675-1929/ 8398-3887
E-mail: [email protected] com br